08 • junho • 2015 Lari Cultura­Moda­Viagem

Musée Pierre Cardin em Paris

Olá meninas, como foram de feriadão? Apesar de ter voltado de Paris, eu ainda estou cheia de dicas da cidade luz. Como eu sei que “Paris is always a good idea“, e que sempre têm leitoras chiquérrimas viajando para lá, ainda vai ter muitos posts parisienses, ok? hehehe.

Bom, hoje vou falar sobre um museu que eu conheci e que é parada obrigatória para quem ama moda, é o Musée Pierre Cardin.

IMG_6855

O museu, que conta a trajetória desse estilista revolucionário, abriu em novembro do ano passado no coração do Marais (o bairro mais cool e boêmio da cidade).

Com vocês, Pierre Cardin

Com vocês, Pierre Cardin

Para quem não sabe, Pierre Cardin começou trabalhando com Elsa Schiaparelli, comandou o ateliê dos alfaiates de Christian Dior, até abrir a sua própria marca em 1950. Mas, foi na década de 60 que ganhou destaque com seu trabalho vanguardista e experimental.

Fotos minhas durante a visita

Fotos minhas durante a visita

Como muitos outros da época, sua criação estava focada na era espacial, com roupas futurísticas recheada de formatos geométricos e muitas vezes unissex. Roupas que são consideradas modernas e diferentes até os dias de hoje.

Mais fotos minhas

Mais fotos minhas

No museu podemos conferir mais de 200 modelos, incluindo móveis e acessórios também desenhados por Cardin, dividido em 3 andares.

Madame Renée Tapounier que comanda o museu e foi a guia da visita guiada, e mais looks

Madame Renée Tapounier que comanda o museu e foi a guia da visita guiada, e mais looks

Como eu estava com o grupo da Paris Style Week (curso que eu fiz e vou contar em breve), eu tive o privilégio de fazer uma visita guiada ao museu por Madame Renée Tapounier, uma simpática senhorinha que trabalha na maison há quase 60 anos. Ela começou aos 14 anos como aprendiz, e nesses anos todos já fez um pouco de tudo.

Achei de uma fofura sem igual e muito emocionante ver sua alegria em contar a história por trás de cada look exposto, e tantas outras dos bastidores. Ah! Por sinal, ela quem fez o styling de todos os manequins expostos no museu.

Eu também não posso deixar de comentar que quando eu estava no museu o próprio Pierre Cardin chegou. Aos 93 anos, ele continua ativo no trabalho segundo Madame Tapounier.

musee_pc_008_jpeg

O museu funciona de quarta a sexta, das 11h as 18h, e sábados e domingos das 13h as 18h. O ingresso custa 25 euros. Mas, quer uma dica? Se você fala francês eu entraria em contato para fazer a visita guiada, sem dúvida foi muito mais emocionante.

Endereço: 5 Rue Saint-Merri 75004 Paris

musee@pierrecardin.com

www.pierrecardin.com

09 • janeiro • 2015 Lari Arte­Cultura

Rio cultural: Instituto Moreira Salles

Como para maioria das pessoas, janeiro também é um mês de férias para mim. Depois de um dezembro com a agenda recheada de lançamentos, eventos, almoços, etc, essa é a época do ano que nada disso acontece.

Vocês podem reparar pela retomada da frequência normal de posts aqui no blog, né? Hahaha. Como eu AMO ter tempo de escrever aqui com calma – e manter esse ritmo é uma resolução de 2015.

Além de escrever no blog, eu quero aproveitar essa fase de agenda “mais tranquila” para ficar por dentro de um lado da minha cidade que tenho deixado de lado, o Rio cultural.

Assim, para quem está de viagem marcada para cá, ou meus conterrâneos cariocas que querem se atualizar também da cena artística, eu vou buscar dar constantemente dicas de endereços artsy do Rio.

00081684_7E2A8D1B8D

E para abrir com chave de ouro, hoje eu vou falar sobre o Instituto Moreira Salles.

Conheci o Instituto na minha época de estudante da PUC, ele fica na Gávea também. A sede é a casa onde Walther Moreira Salles e família viveram. Em 1999 virou sede do Instituto e por lá acontecem exposições e apresentações de filmes.

PJA_7947

Mas, só a visita a casa já vale a pena, que tem uma arquitetura super moderna da década de 50 e conta com paisagismo de ninguém menos que Roberto Burle Marx.

Minha dica? Não deixe de fazer um lanchinho no restaurante do Instituto, de preferência nas mesas da área externa. Eles oferecem café da manhã nos fins de semana, e um chá da tarde nas quintas.

IMG_5618-v2

End: rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea (RJ)

Funcionamento: de terça a domingo e feriados, das 11h às 20h /Entrada gratuita (com exceção dos filmes)

10 • dezembro • 2014 Lari Cultura­Leitura

Dicas de leituras para o fim de ano

Faz tempo que não dou uma dica de leitura aqui no blog, né? Antes tarde do que nunca! Eu acho que livro é uma excelente opção de presente para amigo secreto, seja de trabalho ou até mesmo de família.

Em média tem um preço ótimo (se formos pensar que uma blusinha de malha não sai por menos que R$100,00 hoje em dia…) e é fácil de quem te tirou achar, inclusive pode comprar online.

Assim, para quem ama um livrinho – like me – antes de dormir ou naquela praia de domingo, hoje vou falar das minhas últimas aquisições e que super recomendo a leitura. Vejam só!

 Dica-de-livros-presente-recomendo-indicações-comprar-Lari-Duarte-blog-leitura-1

A lista de Brett” de Lori Nelson Spielman: há tempos não me encantava tanto com uma ficção e me identificava com uma protagonista rs. Peguei essa dica no Instagram da minha musa inspiradora, a consultora de estilo Juliana Burlamaqui, e fui fisgada já no 1° capítulo.

O livro conta a história de Brett Bohlinger, que após perder a mãe (de quem era muito unida) descobre que ela deixou uma lista de coisas para Brett realizar antes de receber sua herança. Não vou ser spoiler… Para saber o desenrolar da história, vai ter que ler ; )

Como ser uma parisiense em qualquer lugar“, de Caroline de Maigret, Sophie Mas, Audrey Diwan e Anne Berest: se você é apaixonada por Paris e já ficou temporadas por lá como a blogueira aqui, você vai morrer de rir e se divertir com esse livro. De forma despojada e politicamente incorreta, o quarteto desvenda e mostra o comportamento da parisiense atual.

Momento confissão: durante o Fashion’s Night Out de Paris as autoras estavam na multimarcas Colette assinando o livro, e eu super me arrependo de não ter ficado na fila gigaaaante para ter um exemplar autografado. Mas, finalmente consegui meu exemplar em português mesmo.

A síndrome da boazinha, como curar sua compulsão por agradar” de Harriet B. Braiker: eu estava na fila do caixa da Fnac e o título do livro me chamou atenção. Sabe quando você começa a ler umas páginas avulsas (sou dessas…) e se identifica? Comprei na hora!

De forma fácil e até meio didática a autora tenta ensinar as pessoas a “dizer não, obter a aprovação de si mesma e não fugir de conflitos…” como diz um trecho da contra capa. Se você sofre desse mal como eu, #tamosjuntos e segue a dica hahaha.

Dica-de-livros-presente-recomendo-indicações-comprar-Lari-Duarte-blog-leitura-2

Bom meninas, esses foram os últimos livros que eu li. Esse fim de ano vou ganhar mais 4 (amigos secretos…hohoho), então em breve vai ter mais dica de leitura por aqui, uhul!

Mas, e vocês, alguma outra dica de livro que leram recentemente e curtiram? Já leram algum desses? Vou adorar saber!