11 • abril • 2016 Lari Leitura

Dica de livro: Como eu era antes de você

Quando eu fiz o post sobre os livros que marcaram minha vida (pra ler clique aqui), eu recebi nos comentários a sugestão de ler Como eu era antes de você, da Jojo Moyes. Eu já imaginava que o livro era bom pelas mil fotos/comentários positivos sobre ele que vi por aí, mas eu não sabia que ia AMAR, isso sim. Eu devorei as 318 páginas em um único fim de semana.

Como-eu-era-antes-de-você-preço-onde-compra-resenha-tudo-sobre-Jojo-Moyes-filme-best-seller-sucesso-dica-de-livro-leitura-blog-Lari-Duarte

Vamos a sinopse pra vocês entenderem: aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Parece mais um romance previsível, né? Mas, não é. A história de Lou e Will leva o leitor não apenas a repensar a própria vida, mas também ensina e reforça duas coisas importantíssimas e que, na minha opinião, andam em falta no nosso mundo: tolerância e respeito ao próximo.

Nós, seres humanos, temos a – feia – mania de julgar e opinar o tempo todo nas decisões dos outros. “Ela perdoou a traição do marido, que absurdo!“, “Ele abandonou a família pra ficar com outra, que horror!“, e poderia continuar escrevendo uma série de exemplos… Tudo isso é errado. Não é querer defender, a verdade é que ninguém nunca vai saber de fato o que se passa na vida de outra pessoa, como é viver naquela pele.

Assim, o livro me levou a fazer um exercício pessoal. Antes de sair opinando sobre algo, tentar de verdade se colocar no lugar da outra pessoa. Tentar entender a situação por outro ângulo.

Bom, não preciso nem dizer que indico a leitura, né? Hahaha. Agora estou louca pra ler a continuação, o Depois de você (apesar desse eu não ter lido muitas críticas favoráveis dessa vez). Ah! E a boa notícia é que “Como eu era antes de você” vai virar filme, então quem quiser ter um gostinho do livro é só assistir o trailler abaixo:

Deixe um comentário