Alguma coisa está fora da ordem

Crônica-Lari-Duarte-compras-3

Aproveitei a noite de ontem para ir ao cinema, enquanto esperava o horário do filme no Shopping Leblon fui fazer o que acredito que 90% das mulheres que leiam esse blog fazem: fazer hora na Zara.

Como de costume, uma rápida voltinha na loja e fiquei com os braços cheios de roupitchas para experimentar. Até ai tudo normal, eu brinco com minhas amigas que tem gente que malha para se sentir melhor, bebe com os amigos, faz o que seja, eu faço “zaraterapia”. Meia horinha na melhor fast-fashion do mundo é o mesmo que uma dose de rivotril para mim, saio calma e relaxada.

Mas, qual foi minha surpresa, não consegui comprar nada! Olha que o cartão acabou de virar (amém!), a coleção preview de inverno está tinindo nas araras, e eu não tive tesão em comprar nadica de nada. E como boa geminiana comecei a pensar, o que anda acontecendo comigo? E cheguei a conclusão que cada vez mais eu ando comprando menos por alguns fatores.

1- Desde que eu me formei em consultoria de imagem e estilo estou mais chata do que nunca. É roupa com cor que não me favorece, estampa grande demais para mim (sou pequena), estampa alto contraste (preto & branco), calça marcando culote, blusa com ombro fora do lugar… Por um momento me bateu saudade do tempo que eu pesava mais 10kgs do que hoje e saía de listras horizontais por aí, feliz e confiante.

2- Os preços. Eu sei que o mercado da moda é difícil e todo esse discurso blábláblá, mas como achar normal pagar R$200 em uma blusinha de poliéster que de quebra, se você não for atenta, pode vir com mancha da base da amiga que experimentou antes? Eu até tinha gostado de uma blusa floral com a ideia de usar na praia ou pijama, mas por esse preço não dá.

Já em casa, ainda pensando nisso, também cheguei a mais uma conclusão: quantidade não é qualidade. Me lembrei do tempo que eu era a consumista mais louca da terra, daquelas que escondem as sacolas quando chegam em casa e dá sempre um jeitinho para comprar algo “um pouco nesse cartão, tanto nesse outro aqui e X em dinheiro”, sabe? Por incrível que pareça foi a época que eu menos me vesti bem, parecia mais um catálogo de loja do que eu, Larissa. Desse tempo só sinto saudades das hidratações semanais, realmente os cabelos eram mais brilhosos…

Bom, vai ver é uma coisa da idade, digo idade mental mesmo, será que finalmente estou perto da maturidade? Ou, nada disso, só estou em uma fase mais controladora. A resposta eu não sei, mas uma uma coisa posso garantir, é possível entrar na Zara e não levar nada. Yes, we can!

Crônica-Lari-Duarte-compras-2

PS: meninas, vire e mexe eu escrevo umas crônicas, mas não posto aqui, hoje que eu resolvi colocar. O que acham, apoiam? Quero muito saber : )

Comentários

  • Adorei o post, continue postado crônicas assim. Eu meio que me senti nessa vibe, comprando apenas o que me favorece e que dê ênfase a qualidade. Passei dia desses na Riachuelo (aqui não tem Zara) e dei de cara com peças custando R$100,00 , mas que não tinham qualidade alguma. Prefiro esperar a liquidação e levar por R$30. Não caio mais nessa historinha!

    Responder
    • João querido, obrigada! Fico feliz que gostou da crônica. Só uma obs: como assim não tem Zara aí? Alô espanhóis, providenciam uma mudança djá kkk. Beijos

      Responder
  • Gosto dessa sua pessoalidade no blog, é muito mais você! 🙂 Concordo, e vou te dizer que com o passar dos anos eu passei a comprar menos roupas e ponderar – porque você sabe, tenho um corpo difícil de vestir -, e sim, nós podemos! <3

    Responder
    • Amora obrigada! Amei ler seu comentário : )

      Responder
  • Tb gostei do post! não sabia que vc escrevia crônicas que não postava que desperdício!rsrs 😛
    Então, eu não sei o que houve mais eu achei essa nova coleção da Zara estranha, mas não cheguei a olhar com calma só dei uma dessas entradinhas pra passar bem rápido o tempo e não deixar de ir lá hehe
    E sobre os preços acho até uma contradição pois ela acabou de sair de uma sale com coisas boas e preços também bons pra essa nova coleção com esses preços bizarros…
    Mas enfim, fora isso realmente tenho aprendido aqui no seu blog que é melhor comprar pouco mas coisas boas e juro que estou investindo nisso e não me arrependo!

    Responder
    • Obrigada Mariana pelo elogio a crônica 🙂
      Sobre a Zara, não acho que seja uma questão de coleção, pois estava bem bonita, viu? Acho que é mais consciência mesmo do que me veste bem e também o lance dos preços – bonito, péro muy caro kkk.
      Beijocas

      Responder
  • Lari, tenho passado pela mesma situação. Sempre entro na Zara do Shopping Leblon ou do Rio Sul e não compro absolutamente nada! Acho a qualidade ruim, o corte ruim e os preços absurdos. E olha que quem está falando aqui é uma consumista enlouquecida!! haha Estou preferindo gastar um pouco mais ou até o mesmo valor que cobram na Zara para comprar roupas de melhor qualidade e que vestem bem. As vezes, até mesmo quando está na liqui, eu não compro nada. Beijos

    Responder
    • Estou na mesmíssima fase Maíra!!! Prefiro comprar uma boa camisa de seda ao invés de 10 imitando seda na Zara. Beijos

      Responder
  • Amigaaaaa … que demais!! Que texto INCRÍVEL … consciente, maduro e inteligente, assim como você. Parabéns meu orgulhinho!!! <3

    Bjs bjs bjssss,

    Camis.

    Responder
  • Há alguns meses postei no blog uma reflexão similar. Acho que a tendência do mercado de hoje, pelo menos do mercado formador de opinião, é se afastar deste formato de fast fashion onde, além da qualidade, a mão de obra e o retorno pra sociedade são baratos. Da minha parte, cortei o fast fashion da minha vida pq acho que a máquina de cópias aniquila as chances de sucesso do pequeno criativo, o cara que está começando. Adorei ler seu texto e ver que, por um motivo ou outro, mais gente está pensando dessa forma e a tendência é que esse hábito mude com o tempo!
    Bjs,
    Roberta

    Responder
    • Roberta, concordo com você. Acho que aquele boom das fast-fashions está passando. Claro que ainda tem público, claro que eu mesma ainda vou comprar umas coisinhas, mas aquela coisa de “só me visto de fast-fashion” acredito estar passando. Beijos
      PS: amei ver você por aqui : )

      Responder
  • Frienddddd!
    nunca comento mas hj resolvi comentar! amei o post! me identifiquei MUITOOO!! também estou super assim!!!

    yes, we can!!!!! qualidade ao invez de quantidade!!!

    bjosssss

    Responder
  • Lari! Adorei o post! Por favor. Mais cronicas como essa! Na verdade eu acho que quanto mais entendemos sobre a moda, como ela funciona no geral e para a gente, o nosso olhar critico aumenta muito.. E com isso ficamos assim! Mas me identifiquei mto com o que vc disse a respeito de pesar 10kg a mais, sair de listra horizontal e achar ótimo! Eu era assim tb e hj em dia sou mto critica cmg msm.. No fundo, queria um pouco dessa “relaxada” de volta!!! Beijos!

    Responder
    • Nossa, acontece muito isso, né? Acho que quanto mais informações recebemos, mais filtramos. Por isso com certeza quem trabalha com moda deve ser os que consomem menos – eu acho rs. Sobre os kgs a mais, em alguns momentos sinto falta dessa pessoa “relax”, demorava muito menos tempo para escolher um look rs. Beijos

      Responder
  • Lariiiii….quanto tempo!

    MARAVILHOSO! Impossível não comentar!

    Sim, escreva mais crônicas, por favor! As suas leitoras amam! Sua maneira de escrever é única, divertida, faz a gente refletir e concluir:”Ufa, tem gente igual a mim!”
    Digo isso porque trabalho com moda (você sabe), acompanho várias blogueiras diariamente e muitas só fazem publicidade, outras só comentam o look do dia com peças de preços estratosféricos, fora da realidade da maioria dos brasileiros.
    Sou do grupo “consumistas enlouquecidas” também, mas depois que comecei a trabalhar com moda, acabei ficando mais seletiva. O que é ótimo! Compra-se menos, investindo em peças de qualidade! Tá certa! Eu super apoio.

    Beijo Grande!

    Responder
    • Sunny querida, sempre bom ver você por aqui! Muito obrigada pelos elogios, vou escrever mais crônicas sim : ) E sobre comprar, vamos criar a campanha “invista em qualidade”, que tal? hahaha Beijos

      Responder
  • Lari, eu estou sofrendo o mesmo mal, quase não tenho feito compras, principalmente na Zara. Acho que é a tal maturidade, sim, mas também mais apego ao meu suado dinheirinho hahaha Sinto que os preços estão um tanto abusivos. Prefiro guardar e comprar tudo em viagens.
    Além disso, fiquei intrigada com a parte em que você diz ter pesado 10 kg a mais – como assim?! hahaha Conta como foi essa perda de peso e, principalmente, manutenção. Queria ser fininha igual a você 🙂 Beijos! Amei o texto <3

    Responder
    • Nossaaaa Luiza, me identifiquei super! Hoje em dia todo meu $$$ tem ido para viagens, meu guilty pleasure que de guilty tem nada rs. E sobre os kgs a mais… Acho que já passou da hora de eu preparar esse post, mas é que para mim é um “passado negro”, sabe? Hahaha. Beijos

      Responder
  • Lari, amei o seu texto porque apesar de ser uma experiência pessoal que esta vivendo agora serve de reflexão para gente. Sinto que cada dia mais estamos comprando no automático.
    Pode dividir suas crônicas, amei!

    Responder
    • Querida, muito obrigada! Muito bom ver que outras pessoas se identificam com o momento que estou vivendo. Beijos

      Responder
  • Lari, me identifiquei muito com esse texto! Domingo fui à Zara e a única peça que fez bater meu coração foi uma blusa floral que formava um conjunto com uma calça, bem similar a um pijama. Andei por volta de 40 minutos com o conjunto na mão e pensando se deveria comprar ou não. Depois desse tempo cheguei a conclusão que não deveria levar. As peças não valiam o preço da etiqueta. E mais, fiquei frustrada com a coleção. Beijos

    Responder
    • Aniely, você usou uma tática ótima que pelo menos comigo não falha, dar um tempo. Ao invés de comprar na hora, as vezes dou uma voltinha no shopping, vou fazer outra coisa, para avaliar se não seria uma compra por impulso, sabe? Principalmente em liquis. Pelo visto você fez a escolha certa 😉 Beijos

      Responder
  • Suas pautas pro Blog estao sensacionais!!!
    Como nao se identificar?
    No ultimo ano comprei muuuuito pouco. Como e tava numa fase apertada (casament0) eu simplesmente nao ia ao shopping. Agora eu me habituei a comprar na liquidacao pecas atemporais, fugindo cada vez mais das estampas da moda ou daquelas muito marcantes. Tem funcionado.
    A cronica me fez lembrar muito de Outlets que vamos nas viagens. Antes = comprava um monte de porcarias baratinhas que usava uma vez e esquecia. Agora = Pego toda a grana e compro uma boa bolsa,um bom sapato e ai vai….
    #queremosaproximacronica
    beijocas

    Responder
    • Sua opinião é muito muito muito importante! Fico extremamente feliz em saber que estou acertando nas pautas <3
      Sobre o comentário, você tocou em um ponto ótimo também, os outlets. Hoje em dia procuro fazer poucos e boas compras que realmente valem a pena, enquanto antigamente comprava que nem uma looouca hahaha. Viva a maturidade!
      Beijos

      Responder
  • Muito bom Lari!!!

    Responder
    • Que bom que gostou Guê : )

      Responder
  • Cara Lari,
    É com o tempo que vamos ficando mais seletivos ,não somente no comprar ou no vestir,mas nas relações de amizade, nos locais onde ir…Gosto de fazer “shopping” terapia, ver moda e suas tendências,contudo os preços realmente estão abusivos para a qualidade das peças!!! Hoje mesmo, depois do trabalho, fui ao Barrashopping e endosso seus comentários sobre os preços e qualidade das coisas! Bjs

    Responder
    • Marisa querida,
      antes de mais nada amei ler seu comentário! Fico muito feliz em saber que lê o blog 🙂
      E você tocou em um ponto certíssimo, acho que ser mais seletiva é uma questão de maturidade e influência em diferentes aspectos da vida, não apenas nas compras.
      Beijos

      Responder
  • Sou suspeitíssima para falar de crônicas, porque amo, adoro e se deixar o Style vira um apanhado delas…. Continue!!! Muito bom ver aqui (porque saber eu já sabia) que você é muito mais que “um rostinho bonito na TV”….kkkk
    Beijos!!
    Dani

    Responder
    • Dani, como leitora/fã sua, ameiiiii seu feedback!!!! Obrigada <3

      Responder
  • Oi amiga!!!
    Me identifiquei muito com o que vc escreveu…
    Lembro da gente enlouquecida em Riverside comprando tudo que via pela frente… Eram horas e muito $$$ gastos em Walmart, Forever 21, Target e afins…
    Ha uns 2 anos achava um absurdo entrar na Le Lis Blanc e comprar uma camisa por 500 reais. Mas quando entro na Zara e vejo uma camisa de modelo semelhante mas com tecido sintético custando o dobro, realmente me recuso a comprar!!! Tenho cada vez mais investido em peças mais caras e mais duradouras… E também parei de comprar só porque está barato, em liquidação. Acabava comprando muito sem precisar…
    Em janeiro desse ano fui a Miami e me surpreendi. Voltei com 2 malas com metade do peso limite hahaha em outros tempos isso seria impossível de imaginar… Fui na Forever 21 e fiz a mesma coisa que você. Separei várias coisas e quando experimentei detestei os tecidos, caimentos e acabei não levando nada. Inacreditável, foi o que todo mundo me disse. Mas no fundo me senti ótima por não ter me rendido ao “consumismo desenfreado”.
    Enfim, continue postando sua crônicas. Adorei!!!
    Mil beijos, Flá.

    Responder
    • ops, custando metade, foi o que quis dizer no segundo parágrafo.

      Responder
      • Quem nos viu, e quem nos vê hoje em dia, hein amiga?
        Nós somos o exemplo de como a maturidade muda nossa relação com o consumo. Acho que se juntássemos tudo $$$ que gastamos em besteiras, bolsas da Guess e Forever 21 em Riverside, estaríamos desfilando com nossas Kellys por aí hahahaha.
        Beijos

        Responder
  • Acho que todos passaremos, em algum momento, por situação parecida com essa sua, na qual preferiremos qualidade a quantidade.
    O texto está ótimo!! Continue postando suas crônicas.

    Responder
    • Narjara, obrigada pelo feedback! Pode deixar que vou continuar postando. Beijos

      Responder
  • Adorei, Lari!

    Responder
    • Que surpresa boa você por aqui! Obrigada : )

      Responder
  • Lari, tudo bem? Já tinha entrado no seu blog uma vez, mas estava com um dia cheio e não parei de fato para ler. Hoje navegando pelos blogs alheios, acessei outra vez o seu, dessa vez bem mais atento que da última. E tenho que te parabenizar!
    Sabe, perdi a noção do tempo, fiquei talvez horas por aqui e realmente gostei de tudo que li e vi. Amei o seu blog, com certeza visitarei mais!
    Ah, e em relação a esta crônica, continue! É uma forma tão legal de “ficar mais perto de você” sabe. E não sei se você está amadurecendo, mas com certeza o seu estilo/gosto está! Entrar na Zara e não querer nada: sinta-se uma vencedora! Hahaha

    Beijos!

    Responder
    • Olá Diego,
      tudo ótimo e você?

      Você não sabe como seu comentário me deixou feliz, ganhei meu dia de verdade. Muito bom receber um feedback como o seu, pois eu busco sempre me expressar 100% por aqui, fazer com que os leitores me entendam e compreendam meu ponto de vista.

      Sobre a Zara, estou me sentindo vitoriosa hahaha.

      Beijos e volte mais vezes

      Responder
  • Adorei o Texto! Poste mais vezes!
    É possível entrar na Zara e não comprar nada sim, hahaha, até mesmo pq tem dias que só gosto das peças mais caras e o custo X beneficio nem compensa… Bjks

    Responder
    • Querida fico feliz que gostou, obrigada : )

      Responder
  • Lari, amei o post e super me identifiquei, principalmente sobre a falta de ”maturidade” que eu tenho em entender que não preciso comprar o mundo pra estar bem arrumada. O texto foi ótimo para que muita gente reflita, parabéns!

    Beijos, Marina.

    Responder
    • Marina, fico muito feliz que você gostou, obrigada : ) Beijos

      Responder
  • Lari,
    Perdoe será meu primeiro comentário no blog, não sei o que dizer. Pensava várias coisas a seu respeito que todas vieram água abaixo no momento em que li seu post.
    Primeiro pq mostrou ser gente como a gente, que tem que pensar onde gasta pra não faltar no mês seguinte ou em outra conta, depois pq vc demonstrou e falou pra mim, comigo entende?
    Sei lá parece besteira em dizer mas não me sinto confortável com os preços praticados ultimamente, a Zara é mais cara mesmo, eu só compro em liquida. Mas Renner e C&A colocando vestidos a 299,00 não da. De popular não estão tendo nada.
    Ai vem a pessoa por traz da roupa, que amadurece, você pontuou seu curso, eu pontuo a vida. Mostra que vale mais 50,00 em um bom livro do que em roupas que te fazem parecer um catálogo de loja.
    Depois a net veio com tudo em compras on line e podemos comprar o mesmo produto por menos e parcelado.
    Enfim, mudamos e graças para melhor. Malu

    Responder

Comente

Cancelar resposta

Responder a Mauricia Crisostomo Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.